A retomada do crescimento da criação de empregos formais no mês de março foi impulsionada pelo bom resultado dos setores de serviços (0,31%), administração pública (0,33%) e comércio (0,03%), conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Por outro lado, o setor da construção civil teve o pior resultado entre as atividades econômicas, com redução de 18.205 postos de trabalho no mês de março em apenas um mês.

As informações do Caged mostram que, agora em março, o setor de serviços gerou 53.778 postos formais enquanto o setor de administração pública foi responsável pela criação de 3.012 postos com carteira assinada e o comércio por 2.684 vagas. Assim como a construção civil, a indústria da transformação teve resultado negativo em março, com o fechamento de 14.683 vagas, seguido pelos setores agropecuário (-6.281) e extrativo mineral (-1.675).